Copyright

PROIBIDA cópia e/ou reprodução das imagens sem autorização prévia da proprietária do blog!

Artigo - Dicas para quem quer começar a vender suas produções artesanais (scrapbooking)

quarta-feira, 1 de setembro de 2010


Oi Pessoal!

Freqüentemente recebo e-mails e comentários com pedidos de orientação:
"Como faço para colocar preço nos meus trabalhos?"
"Como faço para começar a receber encomendas/conseguir clientes/vender meus produtos"
"Quero fazer scrapbooking como uma fonte de renda?"
"Qual o investimento inicial?"

Primeiro, preciso dizer que não sou nenhuma expert nisso! Faço trabalhos para encomenda pela demanda, mas definitivamente esta não é a minha atividade profissional principal, e muito menos uma fonte de renda significativa.
Faço porque gosto, porque a cada encomenda nova tenho a oportunidade de trabalhar com fotos e histórias únicas, e posso concretizar ideias de presentes personalizados que as pessoas gostariam de ter para presentear quem mais gostam! Acho que isso é o principal: saber que mesmo à distância, posso emocionar, aproximar, e concretizar ideias em objetos únicos. De quebra, ainda dá uma graninha, que ajuda nos meus gastos com materiais de scrap.

Então... é levando em consideração toda esta contextualização aí em cima que vocês vão acompanhar estas dicas ok?

- Por onde começar?
Quem nunca fez ou está começando no scrapbooking e vê nele a possibilidade de uma fonte de renda importante, preparem-se para serem desestimulados.
Scrapbooking é um hobbie caro. Grande parte dos materiais são importados, e o investimento inicial é enorme.
Para quem não sabe e quer ter uma ideia, em uma loja nacional, um papel decorado importado 30X30cm custa, em média R$4,00- R$ 4,50. Cada furador (nacional), +- R$35,00. Base de Corte A3, R$70,00 (por baixo). E por aí vai! (ainda farei a listagem de materiais básicos, mas isso é assunto para um novo artigo ;) )
Ou seja.... lucro imediato... muito difícil conseguir.

Outra situação é a daquelas pessoas que começaram a fazer scrap por hobbie, foram comprando os materiais básicos, investindo em ferramentas... e chega a um ponto que vêem a possibilidade de vender seus produtos (amigos, parentes), e conseguir uma graninha extra. Neste caso, diria que vale mais a pena, pois a pessoa já tem os materiais, e só precisará investir para as encomendas nos materiais "de consumo" (papéis, cola, adesivos, etc).

- Como calcular o preço do produto?
Eu costumo dizer que o cálculo do produto depende muito de bom senso.
Sugiro que façam uma listagem do quanto de material é gasto para produção de cada produto.
Além do valor com gasto de material, também estipulo um valor 'X' por hora de trabalho.
Multiplico este valor pelo numero de horas (em média) que dedico para cada projeto.
Considere que a sua 'hora de trabalho' vai ser mais valorizada quanto mais experiência e "treinamento" você tiver nesta atividade. Ou seja, se você investiu em cursos, conhece diferentes técnicas, já tem mais "experiencia no mercado", seu trabalho será mais valorizado.

O bom senso vai entrar ao chegar no valor final.
Eu procuro sempre um valor que valha a pena para mim, mas que não fique pesado para o cliente.
Resumindo: sempre se pergunte "eu pagaria isto por este produto?"

- Sobre entrega e cálculo do preço do envio:
Quando a encomenda é feita por pessoas da sua própria cidade, você pode combinar um endereço de encontro para entregar o produto pessoalmente.

Quando a encomenda é de outra cidade ou estado, o cliente paga o envio separadamente.
Eu utilizo o site dos correios para calcular o prazo e valor de envio.
Quando o pedido é feito com antecedência, a opção de envio é PAC (sai mais em conta para o cliente), quando tem mais urgência, envio por SEDEX.

- Como conseguir clientes?
Rsrsrs. Não acho que exista uma fórmula para conseguir clientes. Mas vou dizer como foi o meu processo! rsrss

Em sua "rede social" - Comecei presenteando amigos e familiares com os meus produtos. Aos poucos, estas pessoas que foram presenteadas, me encomendavam produtos para presentear amigos, namorados e familiares. Pessoas que viam estes presentes se interessavam e pediam para estes meus conhecidos meu contato... e assim vai ampliando a rede de clientes e contatos.

Fora de sua "rede social" - Criei meu blog para dividir meus trabalhos de scrapbooking. Sempre que fazia algum trabalho para presentear ou para encomenda, também postava aqui. Aos poucos, pessoas que faziam buscas no google (e outros) encontravam meus trabalhos e me mandavam um e-mail para perguntar se eu fazia por encomenda, se enviava para outros estados e me solicitando um orçamento. E assim fui alcançando clientes fora da minha 'rede social'.
Muito importante neste caso é ter seu e-mail visível no seu blog, para que potenciais clientes possam te enviar mensagens.
Outra dica importante é ser bem objetivo nos títulos dos produtos. Por exemplo, utilize no título palavras que realmente descrevam o produto que está mostrando: "album personalizado"; "porta-retrato artesanal". Desta forma, as pessoas que procuram por estes produtos (no google por exemplo) vão chegar mais facilmente no seu blog.
________________________

Estas foram algumas dicas/orientações para venda e divulgação de seus produtos.

Num próximo artigo: Já tenho clientes, e agora? (próxima quarta-feira)
- Neste artigo vamos ver: envios de orçamentos, definição de detalhes do produto, relação com o cliente, formas de cobrança, envio dos produtos, detalhes finais.

A sugestão para este artigo foi do Pablo.
Se você tem sugestões de assuntos e temas para serem abordados aqui no blog, deixem comentários ou enviem um e-mail ;)

O Feedback de vocês sobre o artigo é muito importante! Também estimulo-os a deixar nos comentários perguntas que tenham surgido durante a leitura e sugestões complementares à estas que coloquei aqui. Dividi apenas minha experiencia e percepção pessoal, então qualquer complementação é bem vinda!

Edit: à medida que recebo algumas sugestões, vou incluindo aqui.
- A Carol (sorelinha) também escreveu alguns artigos sobre vendas/encomendas/clientes/etc. Vale a pena conferir aqui.

Beijos

43 comentários:

Pierina disse...

Tininha,

bom ler o seu artigo, mostrar os seus passos. Não tinha pensado sobre os títulos no blog...puts, você tem razão. Excelentes dicas.

Brigadão

Bjs 1000
Pierina

Dani Toscano disse...

Dicas excelentes!
Amo seu blog, suas produções, quero te parabenizar de novo por ser mega-generosa...
Um xêro.
Tô no aguardo do próximo artigo.

Martinha disse...

Tininha, seu artigo foi de suma importância para mim, amei as dicas de como conquistar cliente, pois esta é a minha maior dificuldade, a questão dos títulos da postagens no blog também foi uma dica maravilhosa, eu não colocava assim e agora vou mudar! Continue nos dando dicas maravilhosas como estas!
beijão!

Pablo disse...

Ah, obrigado Tininha...! Esclarece muito as minhas dúvidas, hehehe! Também acho que é importantíssimo começar com o Scrapbooking como hobbie, e não buscando uma fonte de renda, se isso acontecer, é só uma consequência de tudo aquilo que você fez. Porque eu acho que, quem faz Scrap simplesmente pra vender, não consegue colocar toda aquela magia do 'momento' (que nós amamos tanto) ao fazer Scrapbook. Valeuzão pelas dicas... espero ancioso pela 2ª parte do artigo! ^^ Grande beijo e um ótimo restinho de semana! ;D

lü sielskis disse...

Tininha adorei as dicas!!!Fazia Scrap por hobby e a pouco tempo vi a necessidade de ter meu investimento de volta!Comecei a dar aulas em uma loja e agora recebo encomendas,mas eu ainda não sabia como cobrar pelo meu trabalho...
Não sei nem como agradecê-la...obridada é pouco!!!

Beijão*

Arte em Papel disse...

Adorei a dica! Mto legal da sua parte compartilhar, PAPs e informações!
Beijos
Priscila

Rosane disse...

Tininha, parabéns pelo post... ótimas dicas!!!
Beijos

Fê Monção disse...

Oie
Eu tinha a maior dificuldade era de colocar o preço rsrsrsr
Agora já tenho uma noção de quanto cobrar por cada produto que eu faço :)
Adorei o post!!!
As dicas estão ótimas!!!!
Bjsss

Rosana Garcia Hess disse...

Adorei suas dicas Tininha.....estou bem no comecinho destes passos...rsrsrs..
kisses
Rosana

Manunamoral disse...

Minha flor,

Você arrasa sempre...
Ontem mesmo tive uma discusão com o maridon sobre isso...hauhauahuahu...

Esperando anciosa pelo próximo post...

Alias...falando nesse assunto...vc viu que a Carol "sorelinha" tb fez uns posts assim? Valido demais divulgar.

Sumemooooooooo.

Bjotas sonoras.

Artes de Sonia disse...

muito bom seu artigo.
Obrigada!

PATRICIA E disse...

Olá Tininha!!! Excelente as dicas... adorei.Acho muito bacana a forma de como vc interagi com as pessoas que acompanham seu blog, isso faz com que seu blog seja nota 1000!!! Bjs

Elizabeth Roessle disse...

Super dica, adorei seu artigo perfeito!!!!
Obrigada!
Bjs

Bruna Cheles disse...

Oi Tininha,

Vc é demais, obrigada por compartilhar tudo o que sabe...
eu tive meu primeiro contato com o scrapbook há exatamente um ano, fiz algumas aulas, comprei os materiais básicos e resolvi fazer um blog para divulgar e tentar fazer virar uma fonte de renda, pois tenho uma filha de 1 ano e trabalhar fora não dava, pois não tenho com quem deixar e não queria por em creche pois acho muito pequenininha ainda, e realmente não sei se por ser recente ainda meu blog, mas o retorno é muito lento, eu comparo com uma pessoa que quer abrir uma empresa, o primeiro ano é só investimento pois, como vc disse, os materiais e ferramentas são caras, o lucro mesmo e viver disso acho dificil e demorado, bom é o que eu acho e espero seu próximo post.

bjs até mais

Kátia C. Silva disse...

Muito legal suas dicas, é mesmo muito difícil sairda rede social e alcançar o "mundo"...rs...
Obrigada!

Bjss

Tata Cardoso disse...

Adorei seu post Tininha!
É sempre bom saber essas coisas, quando não se tem experiência no ramo.
Obrigado pelas dicas.
Beijokas

Cá Mariano disse...

Oi tininha, td bem?
Nossa que bacana esse posto, gostei muito. Acho super importante essa dicas... Serviu muito pra mim, pois estou me preparando para em breve começar a ganhar dindi com alguma atividade, e essas dicas foram especiais.
Obrigada, bjus!
vou continuar acompanhando...

Gabi Alberti - ScrapBi disse...

Suuuuuuuuper legal o artigo!! Ajuda bastante!! Valeu!! Bjoss

Gabi Martins disse...

oiii..nossa adorei a dica era yd que eu precisava..to comecando a fazer e ja tenho algumas encomendas e nao sei exatamente o preço..agora com esas dicas vai me ajudar muito.
obrigada...bjos

Maria Laura Martins disse...

Tininha..
Adorei as dicas, mas principalmente sua disponibilidade de preparar todo esse texto, nos ajudando.
Eu confesso que estipular um preço não é tarefa fácil..
Há tempos atrás fazia outras técnicas, já participei de uma feira de artesanato, todo sábado na praça principal aqui da cidade... todo mundo olha tuas coisas, diz que é lindo, mas acham tudo caro, por mais barato que vc ache que esta.
A verdade é que a maioria não valoriza a mão de obra.
Resumindo... adorei tudo, aguardo ansiosa a segunda parte

artesanal.blog disse...

Tininha, eu calculo o valor das minhas produções exatamente como você (material e horas de trabalho).

Achei muito bom você expor isso em seu blog, assim as pessoas podem entender melhor como funciona a criação artesanal - e talvez algumas deixem de fazer aquela conta "custo de material X 2"...

Beijos,
Lu Picoral
http://artesanal.wordpress.com

Cláudia Valéria disse...

Ei Tinhinha,
sei que já disseram isto mas é preciso reconhecer e valorizar sua generosidade!
Já tentei contato e orientções com outros blogueiros que se fizeram "de morto". Muito legal a sua postura.
Estou aguardando seu artigo sobre materiais. Ansiosa mesmo.
Um abraço e tudo de bom
www.outrascoisasetcetal.blogspot.com

Aninha disse...

Adorei o post!!!
Comecei a fazer scrap agora e já percebi como esse hobby é caro mesmo...
Bjo

Dani Pires Vellozo disse...

Tininha, adorei o post!
Tb não trabalho com scrap para viver (e com mestrado nem tenho como me dedicar exclusivamente a isso, você sabe bem, né?).
Mas, como nada dura para sempre, meu prazo para defender minha dissertação está acabando, a bolsa que recebia já acabou e não quero voltar a trabalhar onde trabalhava. Pensei em abrir um atelier e começar a me profissionalizar neste hobby delicioso que é o scrap.
Como você falou, é um investimento caro que fazemos, mas já tenho muitos materiais. Inclusive, alguns clientes (principalmente família e amigos).
Mas dar preço ao nosso produto realmente não é tarefa fácil!
Uma coisa que sempre faço, depois de ter o valor com o material gasto e tal, é pesquisar pela net a média que estão cobrando por produto semelhante. EX: Cartão. Procuro em sites tipo Elo7 por cartões e vejo a média cobrada, para ver se o que eu calculei está muito acima ou (principalmente) abaixo do mercado.
Afinal, não podemos colocar preços muito baixos que a média, pois as pessoas podem interpretar como de qualidade inferior também, né!?
Acho que é isso.
Bjs, Dani.

Scrap Bela disse...

Ei Tininha,
Adorei esse arquivo pois estou passando pelo momento do iniciando no scrap, e querendo saber como calculo os materiais, ou se cobro por peça, tem momentos que fico em crise, achei uma super reportagem se você me permitir falar está nesse linck aqui: http://www.bananacraft.com/blog/parapensar/2009/09/15/como-calcular-o-preco-do-que-voce-vende/


bom tininha, uma sugestão para um artigo é da "ética",tipo assim, pegar trabalhos dos outro, falando que é seu. Eu já fiz cartões de vídeos, já peguei artigo mas em baixo coloquei de onde tirei, quando a idéia não é da pessoa acho muito importante colocar a procedência.

bjss tininha
fique com Deus

Marcela Auxiliadora disse...

Olá, Tininha! Que show esse seu post! É realmente muito difícil colocar preço nas peças, principalmente porque (às vezes eu acho)o trabalho artesanal no Brasil ainda não é muito valorizado...
Obrigada por dividir com a gente, querida!
Beijinhos!

LucianaW disse...

Oi Tini...super bacana este post...dá uma clareada nas ideias...para quem quer trabalhar com scrap!
Valeu mesmo!
Bjs e bom feriado!

Kathia Amorim disse...

Adorei o artigo Tininha! Mto obrigada. Bjs

Juliane - BasicArte Scrapbook disse...

Amei Tininhaaaa... super legal, parabens, #BolinhaNela, só nao perder o costume hehehehe

Sheyla disse...

Oi Tininha...enfim estou de volta ao mundo virtual!
Adorei seu post!
Bjssssssssssss

Marias disse...

Adorei o artigo Tininha. Eu só faço por hobby porque nem tenho muito tempo, mas quem sabe quando aposentar...
Vou guardar suas dicas. Bjus.

Aline Nascimento disse...

Amada, muito obrigada por esse artigo. Confirmou algumas coisas que estava pensando e me abriu os olhos para outras.
Essa questão do título nunca tinha pensado mesmo. As dicas sobre como cobrar (que é uma crise pra mim!) e dos correios foram 10!
Valeu mesmo. Já estou ansiosa pelo próximo.
Beijos

Nerialba Rodrigues disse...

Sucesso absoluto este post. Acredito que esta dúvida de como comercializar e colocar preço atinge todas nós. Só falta sabermos o valor da hora trabalhada kkkk
Beijos Neri

Rosangela Leme disse...

Tininha... adorei o post e os comentários que fizeram dele. Realmente é uma situação delicada essa de colocar preços, principalmente quando nos deparamos com aquelas pessoas que querem o produto mas não entendem ou sabem do processo criativo. No início o boca a boca dava uma canseira só e o blog me ajudou muito.

Parabéns...

disse...

Tininha,

Concordo com você em tudo; ter consciência que scrapbook é uma atividade cara e que tem um público seleto e específico que valoriza este trabalho é primordial para torna está atividade comercial.O bom é começar devagar.
Eu sou sua fã, nunca fui de comentar e muito menos seguir blog, após conhecer o seu fiquei encantada, você é uma pessoa muita bonita e produtiva.
Aprendo muito com você não só as técnicas que nos são presenteadas mas sobre o viver, o belo ...

Parabéns!

Beijos.

Jô Ferreira
Salvador - BA

disse...

Tininha,

Concordo com você em tudo; ter consciência que scrapbook é uma atividade cara e que tem um público seleto e específico que valoriza este trabalho é primordial para torna está atividade comercial.O bom é começar devagar.
Eu sou sua fã, nunca fui de comentar e muito menos seguir blog, após conhecer o seu fiquei encantada, você é uma pessoa muita bonita e produtiva.
Aprendo muito com você não só as técnicas que nos são presenteadas mas sobre o viver, o belo ...

Parabéns!

Beijos.

Jô Ferreira
Salvador - BA

Aline Fonseca disse...

Nossa, adorei este post!
Sempre fico com estas dúvidas pertubando minha cabeça!
E quando mostro meus álbuns, minhas coisinhas fica todo mundo perguntando: POr que você não faz para fora, porque não vende? Alguém já encomendou? Quanto você cobra?" Não tenho coragem de cobrar, sabia?
Eu não tenho noção mesmo. Acabo fazendo uma coisinha aqui e outra ali e presenteando, como vc disse. Assim já recebi algumas encomendinhas, mas fico sempre sem-graça na hora de dar o valor...
Beijosssssssssssssssssss

Tamara Karc disse...

Nossa estas dicas vieram em boa hora para mim. Eu estava com muitas dúvidas e dificuldades quanto a clientes e preços, suas dics me ajudaram muito!!
Estou anciosa pelo próximo post.
Obrigada pelas dicas!!
Beijos

Carol Fonseca disse...

Muito boas as dicas Tininha!! Anciosa pela continuação do artigo.. bjs

Iramaia Figueiredo disse...

Olá, Tininha!

qto tempo! correrias de uma mãe, professora mestre e arteira!
Gostei muito do seu artigo. Parabéns!
Sucesso em sua vida acadêmica e arteira!
abs!

Mônica - Belém-PA disse...

Oi Tininha, seu artigo foi muito importante pra mim. Sou nova nesse mundo do scrap e realmente os materiais são caros Continue nos dando dicas maravilhosas como estas!Obrigada. Seu trabalhos , dicas tudo é maravilhoso por aqui.
beijão!

Raphinha disse...

Adorei o artigo e adoro todo o seu blog!Parabéns pelo seu trabalho!Ta nos meus favoritos!!bjo

Anônimo disse...

Dicas e informações valisoas! Obrigada, vou ler com atenção. Arrasou. bjs
Vc me respondeu no meu e-mail do Yahoo (claudia.renatta)